segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Moda tem idade?

Quando a gente passa dos 40 anos, com certeza começa o dilema como se vestir sem ser criticada ou se sentir ridícula. Bem, acho que para a moda não existe regra quanto a idade. Devemos nos vestir com aquilo que nos deixa à vontade e também ninguém está impedido de usar as tendências mais atuais da moda.

Lembro bem da mãe, sempre foi uma pessoa muito vaidosa. Mas os tempos era outro. Ela sempre vestia o chamado chemisier, aquele vestido básico, corte reto, geralmente com cinto de tecido na cintura, mangas curtas e com cores e estampadas discretas. Hoje, essa ditadura acabou e quem dita as regras de como deve se vestir é a própria mulher. 

Não tem mais essa, de quem tem roupa para mulheres mais jovens ou mulheres mais maduras. O que importa é que a roupa cai bem e seja confortável para você. É claro, que cada uma tem suas preferências. Eu, por exemplo, já não me sinto bem usando minissaias. Mas e daí se a mulher com mais de 50 anos quiser vestir um shortinho ou uma saia ou vestido mais curto?!. Cada um deve se vestir do que jeito que melhor gostar. 
Eu mesmo sou uma pessoa bastante básica. Por isso, adoro calças jeans e camisetas. Minha moda é aquilo que me faz me sentir bem.


 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Turismo Esportivo

Para quem gosta de viajar e ao mesmo tempo é adepto da prática de esporte, em especial das corridas, eis ai uma boa dica: seguir o roteiro de corridas e maratonas pelo país e até no exterior. Existem vários sites que informam o calendário de corridas e maratonas em todas as partes do país e do mundo e onde fazer as inscrições.
Agora é hora de arrumar as malas e partir para essa aventura. Claro, que se você não tem patrocinador é preciso fazer um planejamento financeiro, pois esse tipo de viagem exige custo: desde a inscrição no evento, passagens aéreas ou rodoviárias, reserva em hotéis, alimentação. Mas também não é para desanimar. A ideia é se programar e não precisar ficar o ano todo viajando.
Eu não sou corredora, mas em razão de meu marido adorar participar desse tipo de competição, comecei a viver essa experiência em 2016. Aproveitando uma viagem de trabalho, em Brasília, meu marido, acompanhado de minha filha de 6 anos, participou da Corrida do Administrador. Depois, liberada da reunião de trabalho, fizemos um tour pela cidade. 

Na virada do ano, fizemos nossa melhor experiência até agora. Participar  da São Silvestre, no dia 31 de dezembro, em São Paulo (eu e minha filha na condição de observadora). Uma experiência muito boa, pois tive a oportunidade de conhecer São Paulo. Apesar de a viagem ter durado poucos dias e ser um período de longo feriado (com muitos shoppings e restaurantes fechados), foi a primeira oportunidade que tive de ir a São Paulo e fizemos bons passeios.

Agora, nos preparamos para uma nova aventura. A maratona de Floripa em Agosto. Apesar de já conhecer Florianópolis, será uma oportunidade de visitar a cidade mais uma vez. E que venham mais maratonas.
📎📎📎

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Aposentadoria aos 65 anos. Sobreviveremos??

👐👐👓👓
A reforma da previdência está em pauta e a meta do governo é colocar o projeto em votação no Congresso e colocá-lo em vigor ainda em 2017. O que nos espera no futuro com essa reforma?. Não sou especialista em Direito Previdenciário, mas como leiga não vejo com bons olhos.  Até acredito que realmente haja um rombo nas contas da previdência. Mas será que só os aposentados são culpados por esse rombo? Será que as empresas que sonegam a previdência também não são responsáveis por essa conta? E o que dizer da corrupção que toma conta da gestão pública em todas as esferas, também não tem responsabilidade sobre isso?

O que sei é que essa reforma da previdência só vem, como sempre, para punir os trabalhadores que ralam anos  para almejar a tão sonhada aposentadoria e, na maioria das vezes, têm que continuar trabalhando para complementar sua renda.

Vejam só, o governo sempre gosta de fazer comparações com a aposentadoria em outros países. O fato é que na Europa e nos Estados Unidos a qualidade de vida das pessoas é bem diferente da nossa. Qual o trabalhador brasileiro que consegue juntar dinheiro para gozar na aposentadoria nos dias de hoje pagando um turbilhão de impostos, enfrentando altas taxas de juros e tendo que arcar custos com educação e saúde de sua família, já que o governo não nos oferece nada.  Outra coisa, qual empresa privada vai querer manter em seus quadros um trabalhador depois dos 50 anos em seus quadros, quando começa a surgir os primeiros problemas de saúde o cansaço natural da idade? O trabalhador que for demitido por uma empresa aos 50 anos ou  mais, será vai conseguir um novo emprego? 

E o que falar do serviço público, teremos servidores cansados pegando duro no trabalho, como o desgastante serviço de atendimento ao público ou serviços que demandam muito preparo físico, como o de policiais?  E daí, será que o governo terá como contratar novos servidores sem poder aposentar os mais antigos para desafogar a folha e sair do famigerado limite da Lei de Responsabilidade fiscal?
Enfim, são pontos que servem para reflexão. Sem contar que nós mulheres teremos que nos aposentar com a mesma idade dos homens, mas sabemos que da dupla e às vezes tripla jornada que a maioria das mulheres têm no dia dia a dia.

Bem, para que as que têm mais de 45 anos resta o consolo que terão ao menos uma regra de transição. Mas, com certeza, muitos terão que trabalhar até mais 5 anos do que estava previsto.

Vamos ver o que nos aguarda pela frente.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Leitura aumenta Longevidade

📖📖📖
Aprendi a ler com 5 anos e a partir daí a leitura passou a fazer parte da minha vida. Lembro que na minha casa havia na estante uma antiga coleção chamada o "Mundo da Criança" (dessas que eram vendidas nas portas das casas, com capa dura, no tempo que não havia loja virtual). Assim que aprendi a ler devorei (literalmente) todos os livros dessa coleção. Outro hábito que também tinha na infância era de ler os gibis da Mônica e Cebolinha, Almanaque Disney e tantos outros. Lembro que meu pai, um amante de leitura de livros de bolsos (até hoje faz isso ao 84 anos), nos levava a um sebo (banca de livros usados) para trocarmos os gibis já lidos, era uma verdadeira festa.

Até hoje, costumo ler (quando os compromissos profissionais e minha filha de 6 anos permitem), ao menos um livro por mês, sem contar as leituras diárias de notícias e artigos pelos sites na Internet. Sou verdadeiramente apaixonada por livros de biografias, política e livros reportagens (talvez por causa da minha paixão por jornalismo). 

Mas não importa o tipo de livro que você gosta. O que importa é manter a mente em atividade, pois estudos científicos  comprovam que o hábito de ler aumenta a longevidade, pois a leitura mantém a mente ativa e sempre aberta a novos conhecimentos. Por isso, não perca tempo.. Leia, leia sempre. 


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

💋💛🌺
Olá, começamos o ano de 2017 e ele já veio nos trazendo algumas situações assustadoras. Uma delas a situação caótica dos presídios no Brasil. Mas não é disso que estou querendo falar com vocês. Venho pensando há muito tempo em definir um tema para as postagens do meu blog. Gosto de muitas coisas: moda, arquitetura, livros, enfim uma diversidade de assuntos. Mas pensei como canalizar todos esses assuntos de forma que se tornem conteúdos atraentes.
Então, me veio uma ideia. Em 2015, completei 50 anos de idade. Agora, em 2017, chegarei aos 52 anos (uau, o tempo passa depressa). Meio século de vida e a gente já fica pensando em breve chegarei aos 60 anos e como estarei até lá?!.
Confesso que de início me assustei com a ideia de chegar ao 50 anos, ainda mais quando se tem uma filha de apenas 6 anos (a maioria das amigas da minha idade estão com filhos todos adultos e algumas já são ou estão para ser avós). Bem, mas o fato é que pensei, por que não escrever para mulheres da minha faixa de idade que vivem muito conflitos (como vivemos em todas as idades, com 20, 30, 40 anos).  
Lembro-me que quando era criança, uma mulher de 40 anos já era considerada uma idosa (acho que na concepção de muitos jovens essa visão não mudou muito). Porém, o fato é que realmente as mulheres de 50 anos nos anos 70 até meados de 80, se comportavam como a vida se acabasse a partir daí. A preocupação era ser avó e cuidar a partir daí dos netos (claro, que toda regra tem exceção). Só que hoje a maioria das mulheres com mais de 50 anos estão em plena atividade profissional, continuam sendo vaidosas e em plena vida sexual. 
Porém, há de convir, com o passar do tempo, por mais cabeça que sejamos, sempre surgem algumas preocupações: a menopausa que está chegando; nosso corpo já não responde com antes a nossos impulsos; os cabelos estão caindo; as ruguinhas do rosto começam a aparecer com mais intensidade (enfim, conflitos que nós vivenciamos desde que somos crianças, mas que se potencializam com o passar dos anos). 
A ideia, então é essa, falar sobre moda, mercado de trabalho, arquitetura, saúde, beleza e estética e tanto outros assuntos, mas direcionado a esse público com mais de 50 anos. Mas é claro que os mais jovens, tanto homens e mulheres, estão convidados a participar desse papo. Afinal, futuramente, todos estarão nesse barco (não é nenhuma visão apocalíptica rsrs).
Um forte abraço e nos vemos em breve.
Fábia Assumpção
blogueira experimental.